Arquivo da categoria ‘Moda’

Atenção!

Publicado: 27 de outubro de 2010 em Moda

Olha só, hoje não vai rolar post de moda porque estou já já indo para o 3º dia do Ceará Summer Fashion. Semana que vem post o compacto pra vocês.

Beijo,

Belinha

Anúncios

Coral ou Laranja?

Publicado: 21 de outubro de 2010 em Moda

Vedete da estação, o coral (antigamente chamado de laranja) pode ser usado em looks inteiros, em detalhe de peças ou apenas nos acessórios.

Dicas para você usar o coral:

– Se você tem medo de ficar exagerada, invista nos acessórios, como bolsas.

– As várias tonalidades de nude rendem combinações elegantes com o coral.

– Ao usar peças inteiras na cor, prefira os modelos que deixem a pele à mostra.

– A mistura dessa cor com outras nuances fortes, estará em alta e promete agradar às mais ousadas.

 

Peças para o dia a dia:

1. CAMISA FLOR (R$ 278)

2. ESMALTE TWIGGY, RISQUÉ (R$ 2,75)

3. CALCINHA (R$ 25,10) E SUTIÃ (R$ 50,40) DILADY

4. SAPATOS SHOESTOCK (R$ 149,90)

5. BOLSA FELLIPE KREIN (R$ 298)

6. BOLSA ALFORJE (R$ 268)

7. SANDÁLIAS TABITA (R$ 192)

8. CINTO LE POSTICHE (R$ 29,90)

9. VESTIDO RENNER (R$ 69,90)

 

Fonte: Editora Abril

Post super curtinho mais super útil. Até semana que vem!

Beijo,

Belinha



Acessórios do Verão

Publicado: 13 de outubro de 2010 em Moda

Bolsas, sapatos, colares e óculos virão quentes e coloridos neste verão. Nas passarelas do SPFW, predominaram o amarelo, o laranja e o rosa. Franjas e materiais rústicos, como sisal, palha, juta e tecidos crus, aparecem em acessórios requintados. E para fugir das altas temperaturas, os chapéus surgiram com abas amplas e molengas.

Os colares gigantes reinaram. Eles vão do pescoço até a altura da cintura, alguns ultrapassam a linha do quadril e os mais longos chegam até o joelho. Feitos de pedra, cordas, tecidos ou acrílico, todas as peças tinham cores fortes e um toque étnico.

Samuel Cirnansk

Movimento

Iódice

Fernanda Yamamoto

As carteiras ganham passe livre no dia a dia. Nas passarelas foram mostradas opções para usar no trabalho, para sair no final de semana, para cair na balada e até para festas mais sofisticadas. Os principais materiais são o couro e a camurça.

Gucci

Lanvin

Stella McCartney

 

No embalo da moda vintage, as bolsinhas com feixe de porta-moedas voltam às ruas. Com carinha de “bolsa da vovó”, elas, que foram sucesso nos anos 1950, agora ganham releituras moderninhas: as maxi, mais despojadas, e as mini, que ainda mantém o toque clássico. Misturadas à fibras naturais e com feixes elaborados, as bolsas retrô garantem o perfume vintage da produção.

De crochê

Com feixe requintado

Em um versão máxi

Mais não são só as bolsas da vovó que estão em alta. As do vovô também, também conhecidas como bolsa pasta, chegaram com tudo para este verão.

Bolsa de couro estruturada

Com fivelas

Em uma versao mais sofisticada, com couro claro

Agora é só combinar com o look ideal e arrazar durante os dias ou as noites da estação mais esperada pelos brasileiros!

Beijo,

Belinha

Iguatemi Mix 2010

Publicado: 6 de outubro de 2010 em Moda

Entre os dias 22 a 24 de setembro, o shopping Iguatemi Fortaleza produziu diversas atividades, distribuidas pelas praças e corredores de sua estrutura. Dá uma olhada nos espaços:

Showroom Mix – arena de desfiles montada na Praça do Telão, em frente à Centauro. A cada dia, quatro desfiles resumem as principais tendências de moda da primavera/verão, em apresentações imperdíveis e cheias de atitude.

Ateliê Lounge – na Praça Central, em frente à Riachuelo, onde o público pôde conferir, de perto, o trabalho de três grandes criadores da nova geração: os estilistas Kalil Nepomuceno, Lindebergue Fernandes e a marca de beachwear Mar Del Castro. Durante as três noites de Iguatemi Mix, eles ficaram à disposição para consultorias de estilo, customizações de peças ou até mesmo para um bom bate-papo sobre moda.

Lounge de Criação – as principais faculdades de Estilismo e Moda do Ceará apresentaram uma imperdível obra em progresso, lidando com conceitos de sustentabilidade e, é claro, muito estilo. As peças produzidas pelos alunos das faculdades ficaram expostas para avaliação do público durante todos os três dias de Iguatemi Mix.

As principais tendências apresentadas no espaço Showroom Mix foram:

Ordem Militar – Casaquetos, peças com bolsos utilitários e looks mais andróginos. Tons de verde – do caqui ao oliva e ao musgo – se misturaram com pitadas de cor e ao brilho. Para quem precisa sobreviver ao calor desta selva urbana, aliste-se!

Ordem Militar

Tribal Moderno – O estilo, traz animal prints mesclados a florais e folhagens. Fresquinhos tie-dyes fazem parceria com grafismo multicoloridos. E estampas com referências tribais e seculars recebem um ar mais artsy para um étnico mais urbano. Sem medo de ser feliz, uma avalanche de cores. Mas sem esquecer do rústico, do natural, dos tons de pele. Escolha sua tribo.

Tribal Moderno

Pop! Pop! Pop! Mixar referências, misturar vontades, colidir tendências sem medo. Cores fluo, perfume de hip hop, vibe street, crash de estampas, de estilos e de informações, tudo ao mesmo tempo. E sabe o que é melhor? O resultado do styling afiado de Marcos Marla apresentou uma moda sem idade definida, perfeita tanto para as mais jovens quanto para as adultas mais destemidas.

Pop! Pop! Pop!

Na Balada – Não importa a cidade onde começa a balada, o mix é formado por bordados e tachas, franjas e tecidos tecnológicos, glitter e tons metálicos. Para dar o tom da festa, brilho. Muito brilho. Suba no salto e se arrisque em acessórios mais ousados. Maxi. Nas pulseiras e nos colares. Formas assimétricas, metais, acrílico colorido e contas orgânicas (como sementes e madeira) vão para a pista. E se lembra que a dica é franja? Elas aparecem em tudo. Em roupas, bolsas e até sapatos. Para se jogar!

Na Balada

Safari Urbano – Para embarcar nesta expedição, aposte em estamparia. De motivos tribais a prints de bichos e elementos digitais. Na selva das grandes cidades, aposte nos tons terrosos. Prático e ideal para nosso clima, bem cara de verão, este tema pede peças com muitos bolsos, pernas à mostra, cintos pesados e looks com amarrações.

Safari Urbano

New Navy – Estes mares já foram antes navegados. A tendência inspirada na indumentária dos marinheiros já virou um clássico quando o termômetro sobe. Principalmente depois do navy ser consagrado por ninguém menos que Coco Chanel. No balanço das ondas, a cada verão ganha novas versões. Para a próxima estação, a trend ganha inclusive novo nome: New Navy. E um aspecto mais urbano e sofisticado. As tradicionais listras em vermelho, marinho e branco ficaram mais chic. Recebem brilho, paetês e se mesclam com outras tonalidades. Um perfume dos anos 20 chega com a brisa e também com cintos de metal, pantalonas e espadrilles. Tudo (quase) azul.

New Navy

Chic Grunge – O que era para ser anti-moda virou trend. A “moda-mendigo”, como chegou a ser chamada, regressa agora como “chic-grunge”. O xadrez, o oversized, os acinzetados, as sobreposições de texturas, o jeans surrado e um quê de vintage parecem, pouco a pouco, retornar às passarelas. E uma promessa no ar de ganhar as ruas novamente.

Chic Grunge

Alta Renda – Se o tema foi principal referência do outono europeu, tem tudo para voltar no guarda-roupa de quem precisa encarar altas temperaturas. Rendas, tules, transparências e um quê de lingerie inspired prometem entrelaçar, fio a fio, o verão 2010. Provando que a sensualidade pode deixar de lado o apelo noturno e encarar bem qualquer produção mais urbana, em plena luz do dia.

Alta Renda

Fashion Passion – ao invés dos clichês românticos (rendas, corações e cor de rosa), o desfile Profusão de Amor apresentou uma passarela 100% vermelha. Quer dizer: quase, já que tons de nude, rosa seco e laranja pontuavam o styling e rejuvenesciam o tema. Tudo a ver, portanto, para uma imersão no romantismo urbano, alto astral e light que é a cara desta temporada. Na passarela, formas amplas, tecidos leves e muitos babados. Eles, aliás, confirmam o desejo tropicalista que permeia nosso verão. Se não é novo, pelo menos, é do que as brasileiras adoram.

Fashion Passion

Retrô Chic – Um perfume ora 50´s, ora 60´s. Um misto de cintura marcada, saias godês e um ar de ladylike. As apostas na passarela do Iguatemi Mix para o tema: póas, listrinhas e xadrez vichy. Tomara-de-caia e saias de cós alto. Pra completar a produção: cintinhos delicados.

Retrô Chic

Pegada Animal – Leopardos e tigres. Zebras e até tartarugas. Cobras e lagartos? Animal prints tornaram-se a padronagem da vez. Só que as clássicas estampas ganharam versões mais pop. E cor, muita cor. Que tal uma estampa de girafa no lugar da velha de oncinhas? O bicho pegou. E de vez. E fazem uma conexão entre o tribal e o urbano. Vão parar no top, no short e na lingerie. E aparecem em xales, bolsas e até em detalhes de golas. Dica do Iguatemi Mix: misture tudo (é permitido!) ou faça um look básico, neutro e jogue detalhes estampados.

Pegada Animal

Flower Bomb – Se a moda já tinha “semeado” algumas influências da trend liberty, agora parece colher de vez a estampa de flores pequeninas para o verão 2011. “Flower Bomb” traz o tema floral. Em todos os tamanhos, texturas e cores. Inclusive com pitadas de neon. Da delicada estampa liberty às rosas em aquarelas. Em vestidos longos, em saias com babadinhos, em detalhes e em acessórios. A tendência que tem um perfume romântico vai bem com tons neutros ou peças mais pesadas. Plante essa ideia e colha bons frutos. Ops, flores!

Flower Bomb

Agora é só aproveitar as dicas e arrazar neste verão! Para mais detalhes acessem http://iguatemimix.333interativa.com.br/

Beijo,

Belinha

Tendências do Verão

Publicado: 23 de setembro de 2010 em Moda

Boa noite galera. Desculpem a minha ausência nessas últimas 2 semanas. É que estava sem internet. Mas já está tudo sob controle, e semana que vem volta tudo ao normal. Quarta é dia de moda por aqui! Agora, chega de papo e vamos ao que interessa. O verão nos espera !

A estação mais esperada do ano está chegando e nada melhor do que uma seleção de tecidos, aviamentos e cores que vão bombar.

Os estilos ficaram divididos em: Ladylike, Natural, Navy, Esporte, África e Cigana. Dá uma olhada em cada um deles:

LADYLIKE

Vestidos rodados com busto marcado dão graça e feminilidade a essa moda, que resgata o ar de glamour característico da década de 1950.

ESPAÇO FASHION

Modelagens: Vestidos fluidos com cintura marcada ganham babados e mangas bufantes. Saias na altura dos joelhos recebem laços e arremates modernos.

Tecidos: Para garantir a inspiração romântico, surgem os levíssimos gazar, laise, cetim e organza.

Cores: As suaves, como rose, nude e branco, juntam-se às vibrantes, pink, amarelo-mostarda e azul-royal.

Fitas: As trançadas, de cetim ou lurex, formam desenhos geométricos que imitam pontos de crochê e macramê.

REINALDO LOURENÇO

Babados: Aplicados em camadas ou em detalhe, eles destacam mangas e golas. Chifom e organza dão leveza e volume.

MARIA BONITA EXTRA

Rendas: Com texturas vazadas de flores  e arabescos, elas revelam o corpo de forma discreta e criam um visual delicado.

WILSON RANIERI

NATURAL

Peças leves, com acabamentos rústicos e tramas de crochê e tricô, marcam essa tendência, que prioriza o conforto e o trabalho artesanal.

GRAÇA OTTONI

Modelagens: As formas são largas para que fiquem confortáveis no corpo. A leveza é revelada nas calças com a aparência amassada.

Tecidos: Tafetá e tricô se misturam ao linho com tratamento tecnológico. A camurça serve de base e o algodão vem com relevos e texturas.

Cores: Neutras, como branco, ocre, chumbo e creme. Além de combinações de tons pastel.

Materiais: Aviamentos de palha e semente estão em alta. Use peças de madeira para dar um acabamento original.

MARIA BONITA

Texturas: A criatividade vem de materiais simples, como conchas e botões de madrepérolas. Agrupados, eles valorizam o visual.

MARIA BONITA EXTRA

Guipure: A renda com ar artesanal é um ponto forte dessa moda. Aplique-a em barrados ou em toda a peça.

TÊCA

NAVY

Inspirada nos uniformes dos marinheiros e nos balneários chiques, essa moda traz uma alfaiataria sofisticada, composta por listras bicolores e aviamentos dourados.

JULIANA JABOUR

Modelagens: Vestidos e blazers têm abotoamento duplo. Shorts, bermudas e calças do tipo pantalona recebem a barra italiana. Destaque também para camisetas regatas.

Tecidos: Leves e planos com sarja e linho. Para looks refinados, as opções são seda e xantungue.

Cores: Além de vermelho, azul e branco, o coral também aparece, renovando as produções navy.

Alamares: Presentes nas roupas dos oficiais da marinha, os cadarços fechados com nós estampam blazers e camisas.

NEON

Cordões: São transpassados entre ilhoses para ajustar o volume de cavas e de lapelas e acentuar as curvas femininas.

IÓDICE

Listras: As bicolores vêm com força em blusas e regatas e são costuradas, principalmente, na horizontal ou na diagonal.

NEW ORDER

ESPORTE

Funcional, esse tema transita entre o retrô e o high-tech e coloca em cena roupas com aparência futurista, que foram febre nos anos 1960.

FORUM TUFI DUEK

Modelagens: Inspirados nos esportes aquáticos, os vestidos e as saias são curtos e ajustados ao corpo. Os maiôs e os biquínis aparecem com recortes geométricos.

Tecidos: Materiais tecnológicos invadem as praias. Náilon, neoprene e lamê plastificado são os principais.

Cores: As apostas se concentram no preto e no cinza, com espaço para o laranja e o amarelo cítricos.

Zíperes: Grossos, com trilha e puxadores de plástico, eles substituem botões e cadarços e são aplicados em destaque.

REDLEY

Acabamentos: O viés aparece sobre a pences de blusas de neoprene e forma linhas anatômicas, como nas roupas dos surfistas.

PATACHOU

Telas: Elas conferem textura e dão um toque sexy aos looks esportivos. O brilho sutil se deve aos tecidos resinados.

COLCCI

ÁFRICA

Peças que lembram as roupas usadas pelos caçadores invadem as passarelas com estampas animais e aviamentos de osso e madeira, além de motivos tribais.

TÊCA

Modelagens: Encorporados, camisas e coletes aparecem com recortes assimétricos e bolsos utilitários. As calças curtas são uma releitura do modelo clochard.

Tecidos: Tule e seda são usados para contrapor as peças de algodão e cambraia. O couro faz arremates.

Cores: Tons terrosos se mesclam às nuances de verde, bege e laranja e remetem à natureza do continente.

Aplicações: O bordado colorido das miçangas fica melhor em tecidos lisos e de cores neutras. Valorize o efeito ao prendê-las em tiras.

JEFFERSON KULIG

Acabamentos: Tiras e passa-fitas arrematam cavas e decotes. Elas também são boas para decorar alças de sutiãs e bolsas.

TRIYA

Detalhes: Os pingentes e os botões dessa tendência são feitos de materiais rústicos. Osso, resina e pedra são os principais.

ELLUS

CIGANA

Rica em cores e grafismos abstratos, essa tendência lembra os hippies dos anos 1970 e surge com formas simples, incrementadas por bordados de pedrarias.

ALESSA

Modelagens: Maxivestidos e macacões são plissados e com volume. Túnicas e saias vêm com pontas as simétricas. Os caftãs têm bordados nos acabamentos.

Tecidos: refinados, com crepe de seda, musselina e voal. Brocados e jacquard completam o visual étnico.

Cores: Roxo, verde-oliva, azul, vermelho e laranja. Nas estampas, destaque para o efeito tie-dye.

Bordados: Miçangas, medalhas e paetês em tons de dourado, em especial o ouro-velho, iluminam biquínis e acessórios.

CIA. MARÍTIMA

Vivos e galões: bem coloridos, eles são usados no contorno de vestidos e saias e arrematam com capricho costuras e recortes.

ISABELA CAPETO

Metais: Botões de vários formatos aparecem agora misturados a franja e ilhoses como uma forma de customizar e agregar valor à peça.

AMAPÔ

E que venha o verão! Até quarta.

Beijo,

Belinha

Jeans para Sempre – Parte III

Publicado: 25 de agosto de 2010 em Moda

Nossa última etapa sobre a grande sensação das últimas décadas vai falar sobre sua ética. Afinal, ele é um grande curinga, mas não é uniforme. Como todas as peças do guarda-roupa deve ter um local e um jeito certo de ser usado.

NO TRABALHO

Bom senso é o seu melhor guia. Olhe ao redor: suas colegas e sua chefe são fãs de jeans? Se sim, siga em frente. Mas dê sinais de que o modelo não é o mesmo usado no final de semana. Pense em modelagens de alfaiataria (pantalonas são ótimas) prefira a cintura mais alta ou no lugar e dispense efeitos de bordados ou rasgados. Quanto mais básico, melhor.

Sinal verde: lavagens escuras porque são mais formais.

Sinal vermelho: barriga de fora. Uma boa idéia é levantar os braços na frente do espelho antes de sair de casa e veja se não está aparecendo nada.

NO FINAL DE SEMANA

O jeans delavé está com tudo e é perfeito para os dias ensolarados. As jardineiras são uma boa pedida combinadas a blusinhas coloridas por dentro. Mas lembre-se de que as pernocas devem estar em dia.

Sinal verde: jeans com complementos despretenciosos, como tênis, sandália rasteirinha ou gladiadora, bolsa de palha ou óculos de acetato colorido.

Sinal vermelho: o desbotado localizado está totalmente out. E, quando mais uniforme for a cor, mais magra você parece.

NA FESTA

“Não tire da mente que o jeans é o símbolo da roupa informal”, ensina Glória Kalil. Ou seja, se a festinha é beeem informal e você é bem jovem, ele tem passe livre. Do contrário, é melhor deixá-lo no armário.

Sinal verde: jeans composto com peças mais sofisticadas, bastante hi-lo, em ambientes descontraídos.

Sinal vermelho: a produção com jeans para as mulheres mais maduras. “Tem hora que a gente precisa abrir mão dele”, diz Glória.

NO TEATRO

Foi-se o tempo em que as pessoas faziam superproduções para ir ao teatro. Hoje, há de tudo. No caso do jeans, quanto mais básico e clássico, melhor. Deixe os modelos com muita informação para outro programa e quebre a informalidade da peça com acessórios de peso.

Sinal verde: calças retas com camisa de tricoline e salto, largas com blusa de um ombro só e justas com blazer.

Sinal vermelho: calça rasgada, manchada ou bordada, além de microssaia e shorts.

NA BALADA

Quase tudo está liberado. O skinny é ótimo (com elastano, dá para dançar muito) e sempre passa a mensagem de sensualidade.

Sinal verde: minissaias para quem está com as pernas em dia. Adote a lei da compensação, com sapatos baixos e blusas mais larguinhas.

Sinal vermelho: um jeans e nada mais. Para a noite, ele exige algum elemento de efeito. Do contrário, fica com cara de dia.

NO AVIÃO

Se tiver elastano, é perfeito (afinal, nas alturas, um mínimo de conforto é fundamental).

Sinal verde: skinny

Sinal vermelho: modelos rasgados, a menos que você não se importe em passar frio. Dispense saias e vestidos curtos se você não sabe quem vai ser o companheiro de poltrona.

NO CASAMENTO

Nããão! Nem que ele seja mega, hiperinformal. Em respeito aos noivos, o traje deve ser mais elaborado. Dê um descanço para o seu jeans. Ele e todos a sua volta agradecem. (isso vale para as festas chics e para os homens também)

É isso aí! Espero que tenham gostado dessas dicas sobre o nosso querido denim. Até semana que vem!

Fonte: Revista Elle

Beijo,

Belinha

Jeans para Sempre – Parte II

Publicado: 18 de agosto de 2010 em Moda

Em jaquetas, calças, coletes, não tem erro. A versatilidade do jeans continua imbatível e garante sucesso a qualquer look.

Mas e quando na vitrine ele parece um sonho e no provador ele se transforma me pesadelo? Para não passar por essa situação novamente, descubra aqui como encontrar o modelo ideal: o que veste bem, combina com você e valoriza seu corpo.

Existem algumas regrinhas simples que podem fazer toda a diferença no seu visual denim. A primeira delas : jeans não é second skin. “Precisamos deixar uma camadinha de ar entre a pele e o jeans”, afima a personal stylist Ilana Berenholc, responsável pelo curso de consultoria de imagem pelo Senac-SP. Uma coisa é uma calça ajustada ao corpo e outra, bem diferente (e deselegante), é jeans colado. A maneira mais fácil de evitar o “agarramento” é comprar a calça um número maior. A 40 ficou ajustada e a 42 larguinha na cintura? Fique com a segunda e mande ajustar. A numeração varia de marca para marca e é um padrão relativo, e não um dogma.

Há três aspectos que devem ser considerados na hora da compra:

1 – Pernas: elas podem ser retas, afuniladas, boca larga ou bootcut.

2 – Cintura: alta, no lugar, baixa ou superbaixa.

3 – Tecido/Lavagem: mais ou menos encorporado, street, uniforme ou manchado.

Combinando esses três fatores, qualquer pessoa pode usar (e bem) uma calça jeans. O importante é manter as proporções equilibradas. Dá uma olhada aqui em baixo e veja como usar o jeans para valorizar seu corpo.

QUEM É ALTA

Para essas mulheres, a chance de encontrar com facilidade um modelo que vista bem são maiores. A não ser que você tenha outra característica que deseje ressaltar ou mascarar, pode-se virtualmente usar qualquer calça. Estão liberados todas as modelagens de perna (incluindo modelos mais curtos e com barra italiana), todas as lavagens e alturas de cintura e todos os tecidos.

QUEM É BAIXA

A idéia é alongar e,para isso, a palavra-chave é monocromia. Um visual que combina blusa e calça da mesma cor, só variando o tom, dá a impressão de que você é mais alta.

Pernas: retas, para criar um efeito tubular, com barra na altura do tornozelo e boca larga o suficiente para cobrir o peito do pé, e bootcut, com abertura suave na boca e comprida o suficiente para cobrir o salto, que deve ser alto. Fuja das barras viradas.

Cintura: um pouco abaixo da cintura.

Tecido/Lavagem: prefira as lavagens uniformes. Detalhes na vertical, como costuras marcadas, também alongam.

QUEM TEM PERNAS COMPRIDAS

Combinar o jeans com blusas alongadas deixa o conjunto mais equilibrado.

Pernas: skinny (inclusive com bota sobre a calça), boca larga, bootcut e modelos com barra italiana.

Cintura: baixa.

Tecido/Lavagem: pode usar todas as lavagens, claras ou escuras.

QUEM TEM PERNAS CURTAS

Para alongar as pernas, comece escolhendo blusas mais curtas com bordados na golas, decotes definidos ou qualquer detalhe que chame a atenção  para o seu colo e os ombros. Abandone os cintos largos, porque eles cortam a silhueta, e use sapatos de tons que não criem contrastes fortes com a calça.

Pernas: retas, com a boca cobrindo o peito do pé, e bem compridas, quase arrastando no chão. Modelos curtos, do tipo capri, são contra-indicados.

Cintura: alta ou no lugar.

Tecido/Lavagem: como para as baixinhas, a sugestão são as lavagens uniformes, com detalhes verticais e bolsos traseiros altos.

QUEM TEM BUMBUM PEQUENO

É o único caso em que a modelagem das pernas não interfere. Ou seja, você pode usar qualquer tipo, inclusive de tonalidades mais claras.

Cintura: no lugar ou um pouco mais baixa.

Tecido/Lavagem: os jeans mais grossos são melhores, principalmente se combinados com bolsos traseiros altos, volumosos e com detalhe.

QUEM TEM BUMBUM GRANDE

Tudo bem que é preferência nacional, mas ressaltar demais o que a natureza lhe deu pode ficar vulgar.

Pernas: retas ou bootcut para não marcar as curvas traseiras.

Cintura: levemente baixa.

Tecido/Lavagem: qualquer textura de cores mais escuras e sem manchas na região. Os bolsos traseiros devem ser bem discretinhos e, de preferência chapados, sem abas.

QUEM TEM PERNAS FINAS

Pode usar a cintura onde quiser. Só deve evitar as superbaixas. Aliás, toda mulher de bom senso deve abolir esses modelos. Ninguém merece ver a calcinha alheia.

Pernas: faça um bom proveito das calças skinny com a bota por cima da calça, de bocas largas e das bootcuts.

Tecido/Lavagem: prefira tecidos mais encorporados e abuse dos tons mais claros.

QUEM TEM PERNAS GROSSAS

Um bom truque é trabalhar o comprimento. Use e abuse de saltos com jeans mais escuros e longos para alongar e, ao mesmo tempo, disfarçar o volume.

Pernas: bootcuts mais soltas.

Cintura: pouco abaixo do umbigo.

Tecido/Lavagem: para não ganhar centímetros com o jeans, prefira os mais finos. Capri e outros modelos curtos são proibidos.

QUEM TEM QUADRIL ESTREITO

Cores mais claras e cintos largos ajudam a dar mais volume.

Pernas: entre as modelagens mais tradicionais, as afuniladas ou retas são a melhor opção. Se encontrar um modelo montaria, experimente. Provavelmente, você vai adorar o resultado.

Cintura: baixa.

Tecido/Lavagem: mais encorporado e desbotamentos leves nos quadris são bem-vindos.

QUEM TEM QUADRIL LARGO

Se a idéia é diminuir (pelo menos visualmente) os quadris, o melhor é optar por jeans de tons médios ou escuros e evitar qualquer excesso na região. Use blusas mais largas e botas longas, na altura dos quadris ou abaixo deles.

Pernas: retas, bootcut e boca larga evitam o indesejável efeito “casquinha de sorvete”.

Cintura: mais baixa, pois reduz visualmente os quadris.

Tecido/Lavagem: tecidos mais moles, que não marcam o corpo, de tonalidades uniformes. Fuja de lavagens claras ou manchas na região dos quadris. Os bolsos traseiros podem ser maiores, mas os da frente precisam ser discretos e sem costuras contrastantes na horizontal.

Agora é só balancear as dicas de acordo com o seu corpo. Semana que vem nossa saga com o jeans continua!

Fonte: Revista Elle

Beijo

Belinha