Continuação ‘Especial Saramago’: Ensaio sobre a lucidez

Publicado: 25 de junho de 2010 em Sem categoria

Antes de mais nada, quero pedir desculpa pelo post atrasado… foi a emoção pro jogo de hoje, minha gente (se bem que nem merecia, né? Jogo feio pencas!). Mas lá vai mais uma obra do ilustríssimo José Saramago:

O romance que faz par com o livro ‘Ensaio sobre a cegueira’ foi lançado em 2004 pelo ilustre mestre José Saramago.

O livro conta a história de um país qualquer que num dia chuvoso e de votação, poucas pessoas comparecem para votar no período da manhã.

As autoridades locais desse ‘país qualquer’ ficam preocupadas com o acontecido e chegam a supor que houve uma abstenção por parte da população faltosa. No período da tarde, já quase perto do encerramento das votações, enfim comparecem centenas de milhares de pessoas para votar. Formam-se filas gigantescas e nada parece fora do normal. Até que, para desespero dos governantes, durante a contagem de votos, houve um total de quase 70% de votos em branco.

É evidente que as instituições e partidos políticos perderam a credibilidade com a população local. O voto em branco foi uma desabafo por parte da comunidade, a indignação pela corrupção e pelos políticos corrompidos, tanto dos partidos de direita, como de esquerda ou do meio. Políticos de múltiplos partidos, com ideais diferentes… no entanto, com atitudes semelhantes: usufruto de benefícios que afrontam a própria população.

O número alto de votos em branco foi somente uma forma dos eleitores mostrarem o quanto estavam cansados e revoltados com tanta corrupção. Todas as autoridades que se sentiram ameaçadas resolveram caçar e punir, prender e agir em nome da ‘ordem’ e em prol de salvar a própria pele. Os que sofreram com os horrores da cegueira branca, sofreram novamente – já que os governantes que não perceberam a cegueira branca de outrora, estava relacionada aos votos brancos de agora e indicava que a população não perdera a lucidez.

Diante disso, os governantes abandonam e isolam a cidade, deixando-a entregue ao anda. Daí, entram em cena os mesmos personagens do livro ‘Ensaio sobre a cegueira’ – por isso se aconselha que o leia antes de ‘Ensaio sobre a lucidez’.

Saramago faz uma crítica mordaz à política e as instituições de poder político: na democracia existem, de fato, portadores de natureza autoritária, mas lúcido é aquele que os enxerga.

Bises. :*

Naine.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s